quinta-feira, 12 de junho de 2008

Tu...



Tu eras também uma pequena folha
que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube
que ias comigo,até que as tuas raízes
atravessaram o meu peito,
se uniram aos fios do meu sangue,
falaram pela minha boca,
floresceram comigo...

.Pablo Neruda

8 comentários:

sonhos disse...

Lindo Poema

O vento da vida pôs-te ali.

Bjs

O Profeta disse...

Sou!? Serei apenas um desalinhado?
Pensador fugitivo ao agreste sonho
Uma pedra pensante no meio da ilha
Meio Homem, meio Arcanjo, um ser bisonho


Convido-te a navegares esta vaga de sentires


Bom fim de semana


Mágico beijo

mateo disse...

Maravilhoso!
E as raízes continuam enterradas...
Beijo.

helena disse...

Olá,
mais uma vez uma bela escolha.
Bom fim-de-semana.
Bjx coloridos

G.D.M. (Wolf) disse...

Uns escreveram antes dos outros...
e os sentidos repetem-se... anos após anos ..caras diferentes ..sentimentos presentes..


Beijo Kittie

paula disse...

Um poema que adoro .
Há muito tempo , foi o primeiro poema que ouvi do meu Amor . Nunca mais o esqueci .
Gosto muito do titulo do teu blog ... Porque às vezes tantas coisas parecem impossiveis ...
Beijinhos
Paula

Xinha disse...

Olá, Black Kittie

Mais uma bela escolha!

Se cada dia cai,
dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.
Há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência"

-Pablo Neruda


Xi-coração

Iveta disse...

e depois já é tarde demais...
Magnifico Pablo Neruda!