segunda-feira, 12 de maio de 2008

Por vezes

E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos
E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes




ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes .................
ah por vezes
.....................num segundo se evolam tantos anos

DAVID MOURÃO-FERREIRA

2 comentários:

Filipe Oliveira disse...

Por vezes os meses duram anos.
Não vou fingir que me lembrava
mas ali estava eu no principio.
MoradaTerra nos favoritos?
De repente, num segundo tudo ficou claro.

Chamaste-me novamente ao teu blog, sem querer (ou talvez não) ajudaste-me a perceber este poema de David Mourão Ferreira.

Bjs

G.D.M. (Wolf) disse...

eu entendo e absorvo bem este poema..
adoro este texto..
beijinhos